05 de novembro de 2005

>> quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Há exatos 4 anos eu estava em casa arrasada, sem a menor disposição de deixar minha cama para ir a qualquer lugar. Mas, minha irmã, que sabe ser muito persuasiva quando quer, me convenceu a deixar meu lençol para ir ao aniversário de uma amiga. E eu, que até nos meus melhores dias já detesto um bate-estaca, ainda mais naquela boate específica, estava bem desanimada. Mas, como é impossível dizer não à minha irmã, acabei indo.

Muito a contragosto coloquei minha pior roupa, quase nada de maquiagem, tirei meu pior humor da caixinha, vesti meus óculos de grau e fui. E naquela noite, observei um cara meio que me perseguindo a noite toda! Como nunca na minha vida fiquei com ninguém em boate, não dei a menor bola. Mais tarde, quando o DJ já estava naquela fase do funk que eu detesto (!!!), o cara se aproximou com um amigo, bateu um papinho sem a menor inspiração e pediu meu número de telefone. Era só o que me faltava, pensei, um paulista me cantando com um verdadeiro baile funk de fundo! Queria trocar telefones e eu neguei várias vezes. Disse que a gente deveria pular essa parte e economizar tempo, já que nem ele, nem eu, ligaríamos no dia seguinte mesmo. Mas ele era tão insistente que eu não peguei o número dele, mas acabei dando o meu. E ao contrário do que fazia há anos, dei o número certo, não sei porque.

E não é que o pentelho ligou no dia seguinte, quando eu ainda estava dormindo? Anotei o número dele numa embalagem de pilha e sem perceber joguei fora. Enrolei o coitado por quase um mês antes de aceitar me encontrar com ele, e o danado do menino não desistiu! E quando, finalmente, decidi dar uma chance ao pobre do rapaz, ele me levou para o programa de fim de ano que eu mais detesto no Rio de Janeiro: ver a árvore da Lagoa! Mas, por alguma razão desconhecida eu acabei ficando com ele naquela noite. Alguns dias depois fiquei de novo, e de novo, de novo, de novo...

Algum tempo depois ele disse que quando estava do lado de fora da boate, dava pra ver tudo lá dentro porque a fachada é de vidro. Eu já estava no interior, então ele apontou pra mim e comentou com o amigo dele, é aquela alí que eu quero.
Hoje faz 4 anos que nos conhecemos e eu ainda sou quem ele quer. :)


Obrigada por ser tão persistente, Rafa. Me venceu pelo cansaço... Te amo.



8 comentários:

Carol 5 de novembro de 2009 17:07  

Que lindo! Me emocionei.. E vcs dois são feitos um para o outro!
Parabéns!! =)

Gabi Rosaneli 5 de novembro de 2009 17:28  

Nossa, que linda essa história... demais mesmo!

Parabéns para vcs 2.
Bjs

Carol 5 de novembro de 2009 18:12  

Oi, Michele!
Tava perambulando pela internet quanto encontrei seu blog e sua história linda com seu amor, e resolvi comentar!
Eu tb me casei na casa de Santa Teresa, em março desse ano e vivo muito feliz há 7 meses!
Estou comentando mesmo pq a Carolina Cattan foi a minha fotógrafa e foi uma das minhas melhores escolhas! Minhas fotos ficaram lindíssimas! Se vc quiser vc pode me adicionar no orkut e ver as fotos.
De qq forma, tenho certeza q nesse lugar e com os noivos felizes suas fotos ficarão lindas!
Bjs

Andreza 6 de novembro de 2009 10:32  

Mi,

Que história linda que vocês tem!
Também fiquei emocionada... =)
Parabéns! Muito mais pro Rafa do que pra vc..rsrsrs

Joana 6 de novembro de 2009 12:01  

Que lindo! Felicidade sempre para vocês!
beijo

Andie 6 de novembro de 2009 13:55  

A história de vc sé muito legal...

Que vc sempre seja a garota que ele quer! amem :D

Adoro um romance. sorte e felicidades sempre para vcs dois!

beijos

Patty Ribeiro 6 de novembro de 2009 15:13  

Oiii

Sigo vc a um tempinho!! Adoro o seu blog...

Te indiquei um selinho!

Bjs

Gabi Rosaneli 24 de novembro de 2010 02:07  

Nossa, que linda essa história... demais mesmo!

Parabéns para vcs 2.
Bjs

Noivas Online