A HISTÓRIA DE NÓS DOIS

>> sexta-feira, 8 de maio de 2009

Rafael e eu estamos juntos há 3 anos e meio. Veio na hora certa pra me livrar da maior tragédia amorosa da minha vida. Papai do céu foi certeiro. Escolheu à dedo uma figurinha que tem exatamente tudo o que eu sempre quis em um homem.

Há algum tempo falamos em nos casar. Porém, no meio do caminho, uma pedra: no ano passado, ele, que morou no Rio por 8 anos, precisou voltar para São Paulo, por causa de uma boa oportunidade de trabalho. Não preciso dizer que fiquei arrasada... Namoro à distância é tudo o que eu sempre abominei! Paguei a língua.

Ele se mudou. E eu, com um bom emprego, família, uma vida inteira no Rio e urticárias só de pensar em morar na selva de pedras de São Paulo, fiquei aqui.

Muita coisa aconteceu desde então. A distância, que tinha tudo para separar nós dois, só serviu para nos unir ainda mais. Estar longe dele me fez perceber que não existe nada mais importante no mundo do que estar ao lado de quem a gente ama. Dormir e acordar juntos, dividir o copo, coisas simples. Percebi que prefiro brigar com ele do que fazer amor com qualquer outra pessoa. E isso pesou.

Descobri que eu não quero nada do que tenho aqui. Morar no Leblon é ótimo, você tem qualquer coisa a qualquer hora do dia ou da noite, mas não é o suficiente pra mim. O que eu quero é bem menos e, ao mesmo tempo, bem mais do que isso.

Quero uma casa, ao invés de um apartamento. Quero um quintal para o meu buldogue francês e um lugar pra plantar minhas bromélias e espadas de são jorge. Quero cortinas de gaze de linho, uma churrasqueira, comprar peixe fresco, carteiro que chega à nossa casa de bicicleta, rede e grama.
Mas, peraí, eu sei o que você está pensando, "na capital de São Paulo não dá pra ter quase nada disso". É verdade! Por isso que ele vai ser transferido para o interior do Estado, pertinho de onde vamos morar!

Eu sei que é uma mudança e tanto! Vou sofrer um pouquinho pra me acostumar à vida de interior e desacelerar. Mas, com ele a meu lado, sei que vai valer à pena.
Hoje, ando às voltas, com revistas, sites, orçamentos, tudo para o casório que vai ter a nossa cara: romântico e bucólico.

Me desejem sorte, meninas! A vontade é muita e o dinheiro é pouco. Eu vou precisar!

4 comentários:

Andressa 20 de junho de 2009 14:57  

Oi minha irmã linda!
Estou tãio feliz por você! Você não sabe o quanto.
Fiquei emocionada ao ler seu blog, por ver que você finalmente descobriu o amor. Não sei se você se lembra, mas sempre te disse que, depois que você realmente achasse a pessoa que iria tomar conta do seu coração, você mudarei em relação a casamento, casa, etc.
Fico muito feliz também por saber que eu e a Sheila somos suas melhores amigas! Juro que não sabia disso.
Vc, a mamãe e a Sheila tb são as minhas.
Amo vcs!!!!
Gostaria de participar mais dos seus preparativos. Qualquer coisa, me chame!
Te amo! Seja feliz pra sempre!!!

Andressa 20 de junho de 2009 14:58  

Desculpe pelos erros de português. É que estou emocionada! Beijão

Cássia 1 de outubro de 2009 16:23  

Eu li o blog inteiro... e, olha, como assim "Em São Paulo não dá para ter nada disso?" Eu moro na cidade de São Paulo e moro em uma casa, tenho quintal, há crianças que brincam na rua, o carteiro conhece todo mundo pelo nome, vou à mesma padaria e quitanda desde criança (e eu tenho 30 anos). São Paulo não se resume ao centro da cidade, aos Jardins ou à Avenida Paulista. A cidade é ENORME! Dá para você escolher o tipo de vida que quer levar até escolhendo pelo bairro. Não acredite no que lhe dizem. E espero, de coração, que você seja bem feliz aqui. =)

Grande beijo.

Michele Navega 1 de outubro de 2009 16:49  

Cassia, que bom que escreveu isso! Porque, sinceramente, quando escrevi esse post não conhecia Sp muito bem. Confesso que hoje estou bem mais anumada com a mudança! E acho realmente, que fora a praia, tudo na minha vida vai ser igual ao que é agora no Rio. Com a diferença de que terei a comapanhia dele :)
Bjs

Noivas Online