O dia do casamento sob a visão do noivo

>> segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

O relato abaixo foi escrito pelo noivo. É o primeiro post que o Rafa escreve aqui em dois anos! Mas não se empolguem, porque com a timidez do rapaz, provavelmente, será o único! rs

"Quando a Michele pediu que eu escrevesse minha visão do dia do nosso casamento, confesso que fiquei apreensivo, pois não sou muito bom em me expressar, principalmente escrevendo. Pior ainda foi quando fui pesquisar o blog e percebí que ela escreve muito bem seus posts...rs
Pensei em começar escrevendo sobre como nos conhecemos, mas ela me alertou que já contou nossa história várias vezes. Então, acho que vou ter que criar meu próprio blog, se quiser dar a minha versão dos fatos.



Bem, a semana anterior ao casamento foi difícil. Muitos preparativos ainda e a viagem pro Rio. Fiquei apreensivo devido a todas as expectativas criadas em volta desse casamento, preocupado se conseguiríamos executar tudo o que havia sido planejado e organizado durante esse quase dois anos. Chegar ao Rio na companhia dos meus familiares me deixou mais tranquilo. Perceber que as pessoas que me fazem feliz estariam todas lá não teve preço. Me senti importante e percebi que existem pessoas que realmente fazem grandes sacrifícios pra fazer parte de um momento importante da minha vida.

Infelizmente, não pude curtir o fim de semana como gostaria (leia-se: na praia), porque ainda tinha que escolher meu sapato para o casamento (e se não achasse, não conto quem, mas alguém iria me matar! Rs) e continuar a saga das gravatas dos padrinhos, que começou em SP e teve a parte II no Rio de Janeiro.
P.S.: Por favor, noivas, não inventem essa historia dos padrinhos usarem gravatas iguais. Só da mesma cor já é suficiente! Rs

No dia do casamento mesmo, pensei em várias rotas de fuga, mil maneiras de tentar enrolar mais um pouquinho... Bricadeira! Pensei no quanto amo a Michele e que minha escolha não poderia ter sido outra. Apesar de ela ter se incomodado um pouco com o meu sotaque no início do namoro, nós nos entendemos. Nos completamos em tudo. Mesmo sendo muito diferentes, conseguimos de alguma maneira fazer dar certo. A gente se entende, se respeita e se admira muito. O amor é apenas mais um complemento nessa pequena história. 
Tinha dormido na casa da minha irmã. No dia 06 acordei cedo e fui até a CST levar os espumantes pra gelar e acertar os últimos detalhes de pagamento, etc. Afinal, a Michele estava no seu dia de noiva e não poderia resolver mais esse detalhe. Fiquei muito feliz quando cheguei à casa e vi que tudo o que a Michele sonhou e planejou ao longo desses dois anos estava saindo do jeito que ela queria. E a vista da casa continuava linda, mesmo com o tempo fechado!
Voltei para a casa da minha irmã, almocei e seguí de novo para a CST, onde me arrumaria para o casamento, junto com dois dos meus padrinhos, que considero como irmãos. Os convidados foram chegando, e isso queria dizer que a hora da cerimônia também estava chegando! Eu estava tranquilo, até começar a pensar em tudo que poderia dar errado. Sei lá, pagar mico durante o casamento, ter vontade de ir ao banheiro no meio da ceirmônia, essas coisas... Mas foi passageiro! Logo comecei a curtir aquele momento.

Na hora da cerimônia, lembro do rosto das pessoas me olhando com carinho enquanto entrava com a minha mãe, ao som de My Girl - uma homagem às duas mulheres mais importantes da minha vida naquele dia. 

Quando a Michele apareceu estava linda! Parecia uma boneca, e eu não conseguia olhar ou prestar atenção em mais nada! Só tinha ela no meu campo de visão. A juíza contou uma historia que tinha enviado pra ela por email e eu comecei a ficar preocupado porque não conseguia ver minha avó, que levaria as alianças. Mas deu tudo certo no final. (depois a a Michele conta essa historia com mais detalhes) O que foi ótimo porque não tinha um plano B pra isso.
P.S.2: reparem na cara do meu pai nas fotos abaixo.


Minha avó entrou, trocamos as alianças e fizemos nossos votos. Pra variar, o da Michele foi perfeito. O meu até que ficou bonitinho, mas precisei improvisar no discurso e contar com a ajuda de uma “cola” que estava no meu bolso,  com coisas que eu achava importante dizer naquele momento, pra ganhar uns votos dos convidados presentes...rs 


Pra mim é muito difícil falar sobre o que essa mulher significa pra mim. Ela é simplesmente a pessoa que quero ter pra sempre ao meu lado, pra formar minha própria família, pra ter meus filhos. Como disse nos meus votos, minha maior missão a partir de agora é fazer essa mulher feliz e realizar todos os seus sonhos!
 
Como nossa festa era pequena, ou seja, um mini wedding (to aprendendo!!), conseguimos colocar nossa cara em tudo. E o melhor foi poder abraçar, beijar, conversar e dar atenção à todas as pessoas que são realmente especiais na nossa vida. Gostaria mesmo de ter a oportunidade de reviver aquela felicidade, aquele momento único na minha vida.

Beijos do marido,
Rafael Cavalca"

2 comentários:

Jackeline_e_Romulo 28 de dezembro de 2010 09:13  

Ai meu Deus que coisa mais fofa!!!!! Lindo o Rafa falando de vc, amiga. Lindo casal! E vcs terao uma vida liiiiinda!!!
beijos,

Danni 18 de agosto de 2011 13:48  

Linda forma de descrever os momentos! Sempre que entro aqui babo mais um pouquinho do seu casamento! Parabéns e felicidades demais pra vcs!!!
Dani

Noivas Online