O primeiro dia em SP

>> sexta-feira, 28 de maio de 2010

Depois de um longo período meio desligada do mundo virtual, voltei. Estou em SP há alguns dias, mas só essa semana a Net nos deu o ar da sua graça e instalou minha tv, telefone e internet. E durante esses dias sem Net eu fiquei me perguntando como uma pessoa consegue viver sem banda larga e tv à cabo? Telefone eu até que nem senti tanta falta, mas o resto, nossa, é deprimente...

Bem, resumindo, estou sobrevivendo à mudança. E muito melhor do que imaginava, sabiam? Só chorei no primeiro dia. Quero dizer, chorei na terça-feira passada também. Achei que fosse por causa da mudança, mas não era. Era TPM mesmo e já passou!

Só fiquei mal no primeiro dia porque foi dose, um dia muito difícil. Primeiro, meu voo atrasou 1 hora. Quando cheguei em SP fui lá naquelas cabines de táxi do Congonhas e pedi um carro pra me levar pra casa. Paguei R$ 29,00 só pro motorista andar 300m, virar à direita e me deixar em casa. Isso porque a bonitona aqui não sabia que era só atravessar a rua que dava pra chamar um táxi comum com taxímetro. My bad.

Chegando em casa, aquele monte de caixas empilhadas. O bom foi que os rapazes que fizeram a mudança foram super bacanas, e mesmo sem ter ninguém em casa para coordenar a chegada deles, colocaram todas as caixas nos cômodos certos, seguindo a descrição que coloquei nas caixas. Tá vendo só como organizar as caias direitinho ajuda muito? Dá um pouco mais de trabalho, mas é bom saber exatamente onde achar o que você precisa depois da mudança. :)

No mesmo dia fui encontrar o Rafa na casa do tio dele, onde ficamos por alguns dias, até que minha luz estivesse ligada e os presentes que ganhamos chegassem. Porque não tem como viver num apartamento sem luz, gás, geladeira e fogão, tem?
Bem, foi aí que começou meu inferno de verdade. Como, à princípio, eu chegaria em SP cedo, meu plano era chegar na nossa casinha, trocar minhas malonas por uma mala pequena e ir para a casa do tio dele sozinha.  Só que nós tínhamos combinado que, talvez, ele passasse em casa para me buscar, e ficamos de confirmar quando eu chegasse à SP, por telefone. E foi esse talvez que atrapalhou tudo porque nenhum dos dois sabia direito o que fazer.

Quando cheguei em casa, eu já sabia que ainda estava sem telefone, mas não sabia que estava sem luz. E como o Rafa só chegaria do trabalho às 8h da noite, eu fiquei pensando, o que eu vou fazer aqui sem luz até ele chegar? Tentei ligar para ele dizendo que era melhor nos encontrarmos na casa do tio dele, mas o meu celular estava sem serviço (obrigada, Oi!). Tentei ligar de um orelhão, mas o celular dele também estava sem serviço (obrigada, Claro!). E como eu não tinha certeza se ele me encontraria em casa, ou não, muito espertamente me considerei  A entendida de SP e fui pra casa do tio dele sozinha, à noite.

Já fiz cagada na entrada do Metrô. Entrei numa fila mega gigante pra comprar o bilhete, perdi mais ou menos uns 15 minutos, e quando cheguei no guichê descobri que era a fila do Bilhete Único. Como eu não sabia pra que servia, ou como funcionava (se era só chegar e comprar, e tal), pedi desculpa, abstraí aquele monte de gente atrás de mim fazendo cara feia por eu ter emperrado a fila, e saí. O pior é que o guichê certo era em frente, e não tinha fila nenhuma desde que eu pisei no Metrô! Parece que todo mundo aqui usa esse tal de Bilhete Único. 

Comprei o bilhete, passei na catraca, quase fui esmagada por uma multidão de gente e peguei meu trem. Eu e minha mala da semana. E quase que não entro porque o povo aqui é apressadinho, né? Consegui entrar, sentei, relaxei.... só pra descobrir que peguei o sentido contrário e fui parar lá no Jabaquara, quando deveria ir sentido Tucuruvi pra fazer a "baldeação" pra linha verde. Perdi uns 20 minutos nessa brincadeira. Já comecei a ficar puta, me sentir idiota, muito pequena nessa cidade tão grande. Enfim, me senti uma caipira legítima!

Desci e peguei o sentido certo dessa vez. Mais uns 30 minutos até chegar no Paraíso, onde é feita a troca da linha azul para a verde. Burra, burra, burra de novo, simplesmente atravessei a plataforma e peguei o trem indo no sentido contrário de novo! Não fazia a menor idéia que tinha que subir escada rolante, descer escada rolante e só então chegar na tal da linha verde! Nem na Europa eu pago esses micos, porque lá eu leio os mapas! Mas, estando no Brasil, me achei a esperta, né?

Depois que consegui achar o trem indo na direção que eu precisava, já estava num nível de estresse tão grande que eu juro que se pudesse teria voltado pro aeroporto e pego um avião pro Rio!
De repente me aparece uma mulher passando mal dentro do metrô. Todo mundo em volta dela, amparando, chamando guarda pra ajudar, o metrô lotado e eu surtando, porque tenho pânico de pessoas passando mal na minha frente. É um trauma meu, não sei de onde vem. Simplesmente não consigo ajudar, não consigo ficar perto, nada. Surto de verdade! Aí, óbvio que desci na estação seguinte e esperei o próximo trem. Mais uns 10 minutos nessa brincadeira.

Consegui chegar na Consolação, que era onde eu tinha que descer. Nem acreditei que tinha sobrevivido! rs
Desci a Augusta. À essa altura, já era bem noite. No meio do caminho apareceu um menino de rua, olhou pra minha cara, olhou pra minha bolsa e perguntou, tia, tem um trocado aí? Eu falei que não. Aí ele falou, e se eu olhar na sua bolsa e achar? Gente, eu juro, me deu um negócio, saí correndo pela Augusta igual uma louca. A mala virada ao contrário, prendendo nos buracos, e eu igual uma retardada ia puxando a mala, enquanto ela arrastava no chão! Quase atropelei um buldogue inglês que resolveu deitar pra descansar no meio da calçada. Um caos! hahahaha. Tive que parar num sinal. Olhei pra trás e vi que o moleque estava no mesmo lugar, parado, me olhando. Devia estar com medo de mim, provavelmente....

Quando eu cheguei na casa do tio do Rafa ele estava lá me esperando. Tadinho, todo preocupado. porque não sabia o que fazer. Ele tinha ligado pro apartamento do zelador do nosso prédio pra saber se eu estava esperando por ele. Depois que ele ficou sabendo que eu não estava mais em casa, achou melhor ir pra casa do tio e me esperar lá. E eu cheguei quase 2 horas depois, chorando igual uma louca, dizendo que ou  a gente comprava um carro, ou eu voltaria pro Rio, que estava me sentindo uma caipira que não sabia nem comprar um bilhete de metrô, quanto mais trocar de linha. 

Foi tenso. Mas, já passou. Desde esse primeiro episódio, nunca mais me perdi. Não me sinto mais tão pequena no meio desse lugar tão grande, tão diferente do meu Leblon (ah, saudade do Leblon...). Não tenho mais tanta vergonha do meu sotaque de carioca. Não me sinto mais a ET, verde de anteninha, achando que todo mundo sabe que eu não sou daqui só de me olhar. Já consigo circular no metrô, trocar de linha direitinho, chego em todos os lugares onde tenho que chegar sem problemas....rs. E, quer saber do que mais? Eu não sou obrigada a saber tudo. Cheguei aqui no outro dia! Se eu fico na dúvida, se tenho medo de me perder, ah, vai tomar banho, desço onde estiver e chamo um táxi!

O post foi longo, eu sei... Mas, não tinha como voltar ao blog sem antes contar a primeira experiência morando no meio desse caos, tinha? Então, pra quem está chegando agora em SP, fica a dica: leia os mapas do Metrô e compre um celular com GPS!
:)

P.S.: Não adianta dar bom dia pro cara do guichê, né? Ele ignora a gente... No início eu ficava mal com isso, agora eu decide que vou continuar sendo educada, e se ele não quiser ser, problema dele!

P.S.2: Faltam 100 dias pro casório!

Bjs,

25 comentários:

krol 28 de maio de 2010 15:38  

hahaha Bem vinda a SP!!
Se precisar de alguma coisa por aqui, grite!!

=]

Manu Andrade 28 de maio de 2010 15:44  

Mi, que aventura!!!

:)

Allynny 28 de maio de 2010 16:47  

Nossa Michele, ninguém merece passar por isso... vc foi muito corajosa em ter decidido ir só, eu no seu lugar ficaria esperando, nem que eu virasse uma planta! rsrs

=*

VICIADA EM ESMALTES 28 de maio de 2010 20:10  

Olha, eu me vi nesse post. Estou em SP há um mês. Morava no Humaitá (Ah, saudades do Humaitá...), pertinho da Lagoa, do Jardim Botânico e do Leblon! Ia direto passear no Leblon. Chegar aqui é um choque mesmo. To morando na Vila Mariana, que é um lugar legal, ao lado de Moema, mas é difícil assim mesmo. To trabalhando num lugar super longe, pego metro e onibus pra cehgar lá. Perrengue. Mas, fazer o q? Meu marido tá aqui, não tem jeito...agora to trabalhando aqui também. Achei q ia fazer amigos no trab, mas cheguei lá e só tinha homem...Socorro! eles são ótimos, ok, mas quero minhas amigaaaaaaas!!! rsrsr Chorei lendo seu post. Li ele todo e chorei. Ainda bem que tem os feriados enquanto eu ainda não me acostumo e vou pro Rio...Boa sorte pra nós em Gotham City. bjos

Drika 28 de maio de 2010 22:50  

kkkkkkkkkkkkkk.. desculpa mas tive que rir do seu relato...

só vou a sampa as vezes e no início me enrolava toda tb... é um povo diferente mesmo

Mas depois amei essa coisa de metrô...e me viro bem

bjs e sorte aí

Anonymous 28 de maio de 2010 23:48  

Mi, desculpe mas gargalhei com esse post!rs
Estava com muita saudade do seu humor! =)
Seja bem vinda a SP. Aqui realmente NINGUÉM fala bom dia. E o metrô é sim um caos. Mas espero de verdade que vc se sinta em casa.

Beijinhos,
Andreza

Malu 29 de maio de 2010 08:32  

rs, bem vinda a sp. Cidade "incrívelmente" fria, simplesmente pq cada um olha so po seu umbigo.

Parece mesmo que nao há motivos para se da bom dia na cidade do caos diario.. transito (muito!), poluição, filas e mais filas, todo mundo apressado.

Mas daqui a pouco vc se acostuma com essa loucura toda e vai se divertir fazendo compras de madrugada.. indo as maravilhosas padarias pra comer alguma coisinha gostosa no meio do dia..

Amo sp com todos os seus defeitos.

Jane 29 de maio de 2010 17:27  

Putz, voce irritada com SP e eu irritadíssima com o Rio! Agora a hora do rush é das 7 as 22 horas! Nao tem um dia que eu saia e nao pegue engarrafamentos enormes!

Que bom que já está mais adaptada. Bjs!

Michele Navega 29 de maio de 2010 20:29  

Pois é, Jane, ainda bem que vc disse isso. Porque eu falo pra todo mundo que o trânsito de SP não é uma coisa que me incomoda tanto, e todo mundo acha que eu sou louca. Mas, já saí do Rio acostumada com trânsito. Está bem próximo do trânsito de SP! Só que em SP a gente tem a opção do Metrô, pelo menos. No Rio, nem isso!

Bjs

Thais 30 de maio de 2010 19:57  

Mi,
que dia louco que vc teve, se nao fosse o primeiro teria sido mais tranquilo, acho que juntou tudo neh, ai o esteresse foi bem maior.
Mas vc sobreviveu, eu teria chorado tambem, deve dar muita angustia numa situacao assim!!!
bjos,
Thais

Aline 31 de maio de 2010 01:21  

Putz, SP é assim mesmo! hehe

E sim, dá vontade de chorar.
O bilhete único é melhor, você gasta menos e pode pegar ônibus, metrô, trem, é tudo integrado... Vale muito a pena.

Precisando de alguma coisa, só falar.

Bjos!

Carol 31 de maio de 2010 10:02  

Eu sou tão apaixonada por SP que abstraio que tenho sotaque carioca, que ando como se fosse a única da rua.. E vou de ponta a ponta feliz!

Do jeito que vc é, rapidamente essa cidade será pequena pra vc. E a facilidade de algumas coisas, te deixarão feliz..

Saudades! Ahh, estarei em SP nesse feriadão, vc vai estar ai?? Vou estar tão pertinho, na Consolação!

Beijos meu anjo, e obrigada pelo recado do niver! =)

Ah.. e lembrei de vc na sexta. Fui num casamento tão lindo, tão tudo.. Numa Capela desconhecida por mim, no Alto da Boa Vista, parecia no céu. Algo extraordinário! E do seu jeitinho... Tudo tão delicado e pequenino..

Noivinha Cida 31 de maio de 2010 11:04  

Olá Michele, nossa isso foi uma saga ne? rsrsrsrsrs
To passando pela 1º vez, tb sou do rio, e acho q podemos trocar figurinhas sobre casório.
mil bjks e muita boa sorte

Nanda Niz 31 de maio de 2010 14:46  

Flor, que pena que vc teve que passar tantas coisas ruins num só dia... Tenho certeza que muitas coisas em São Paulo te farão ver que nem tudo é tão horrível: tem muita arte e gente legal tb, que te fala Bom Dia, sim. Te admiro por ter feito uma escolha tão 360 por amor. É isso que importa. Em breve vc vai estar acostumada. Bj

Dani-se 31 de maio de 2010 15:40  

Desculpa, mas eu dei muita risada desse post!
Não se preocupe que, metrô e ônibus vc se acostuma...
Quanto ao Bilhete Único, ele é ótimo, vc carrega ele com a quantia que vc quer... e se vc for pegar mais de um ônibus no periodo de uma hora, ou uma hora e meia, vc não paga nada! Da integração, ou seja, um ônibus vc paga, no segundo ônibus vc não paga nada... é uma maravilha.
E se for pegar ônibus e depois metrô, ou vice e versa, vc paga o valor da primeira condução, na segundo vc só paga metade.
Parece que não, mas no final do mês é uma economia!

E o caminho que vc fez da Consolação até a Augusta, realmente não foi boa ideia... é perigoso.

PS: Mas seja muitissimo bem vinda a São Paulo Michele... nem todos são tão mal educados quanto o cara do guichê que te atendeu...

PS²: Não consigo imaginar transito pior que o de São Paulo. hehe

bjnhus
*--*

Eloá Souza Ermel 4 de junho de 2010 02:10  

Flor
Bem Vinda a Sampa, quando eu mudei para cá em 2005, morava em Praia Grande, não entendia por que o povo corria numa escada rolante, atpe me derrubarem e eu começar a correr também.

Bilhete Unico é ótimo, é tipo um cartão de crédito pré pago para onibus e metro, recarrega em loterica e metro.

Mas essa cidade fasina, hoje não me vejo morando em outro lugar.

Seja muito bem vinda e qualquer coisa grita.

Beijos.

Carol 8 de junho de 2010 19:55  

Michele
Seja bem vinda a Sampa. Prometo que com o tempo você vai se apaixonando por esta cidade maluca.
Se precisar... recorre às leitoras paulistanas que estamos aqui.

Vida a Dois - by Lu 13 de junho de 2010 23:43  

Owww tadinha de vc !!
Capital aqui no Brasil tem disso fia. As pessoas são mal educadas e os meios de comunicação e transporte mais confusos do que em outros países. Rodei de metrô em 4 paises na Europa e não me perdi em nada pois além de tudo ser muito explicativo, as pessoas são mais "prestativas" digamos assim !!
Mas fica "peixe" já já vc se acostuma e vai rir de tudo isso e desse dia tão tenebroso!!!

Bjos e estarei acompanhando essa reta final!!



bjos

Adriana 23 de junho de 2010 02:02  

Michele

Tô adorando seu blog. Vou na contagem regressiva com você, posso?

Já casei e esta semana fiz 12 aninhos: nada famosas "Bodas de ônix", fez questão de pesquisar o meu marido.

Que você seja tão feliz quanto eu...sou imensamente feliz! Tenho já 3 filhotes.

Olha, tenho um pequeno Blog de decoração e por estes dias vou sortear um livro sobre festas de casamento.

Apareça por lá e participe do sorteio.

Beijo

Dri
http://coisasqueeuamoetc.blogspot.com

Juliana Magalhães Fonseca 29 de julho de 2010 13:20  

Michele meninaaaaaaa
que saga você passou por aqui! Sobre o cara do guichê: TAMBÉM NÃO ENTENDO QUAL O PROBLEMA DELES, NÃO DÃO BOM DIA, NEM BOA TARDE, TÃO POUCO BOA NOITE...RS.
Sobre todo o resto, no minimo vc tem muito senso de humor para contar tudo isso, e sei exatamente como é fazer piada com um dia dificil depois, em geral no dia do ocorrido, um mar de lágrimas foi derramado...rs
Sobre o casamento: QUE DEUS ILUMINE MUITO SUA VIDA DE CASADA!
BEM VINDA A SÃO PAULO DO CAOS, MAS QUE ALÉM DO CAOS TEM MUITOS ENCANTOS...
BEIJOS
JUJU

Kika Dias 22 de outubro de 2010 09:17  

Olá Michele, hoje por acaso encontrei seu blog .
Eu tb sou carioca, irei me casar em novembro e meu noivo trabalho em SP.
Estou de mudançaaaaa para SP, rsrsrsr.
Cara o metrô é realmente confuso...as pessoas não são simpáticas, me sinto uma caipira do brejo...rs Isso pq só vou visitar e volto p o RJ, nem quero ver o que será qdo eu for morar de verdade!!! Aiaiaiaiaiaiia.
Sei exatamente o que vc passou..rs

Boa Sorte p nós!rs
Bjk

Juliana Magalhães Fonseca 24 de novembro de 2010 02:07  

Michele meninaaaaaaa
que saga você passou por aqui! Sobre o cara do guichê: TAMBÉM NÃO ENTENDO QUAL O PROBLEMA DELES, NÃO DÃO BOM DIA, NEM BOA TARDE, TÃO POUCO BOA NOITE...RS.
Sobre todo o resto, no minimo vc tem muito senso de humor para contar tudo isso, e sei exatamente como é fazer piada com um dia dificil depois, em geral no dia do ocorrido, um mar de lágrimas foi derramado...rs
Sobre o casamento: QUE DEUS ILUMINE MUITO SUA VIDA DE CASADA!
BEM VINDA A SÃO PAULO DO CAOS, MAS QUE ALÉM DO CAOS TEM MUITOS ENCANTOS...
BEIJOS
JUJU

Malu 24 de novembro de 2010 02:07  

rs, bem vinda a sp. Cidade "incrívelmente" fria, simplesmente pq cada um olha so po seu umbigo.

Parece mesmo que nao há motivos para se da bom dia na cidade do caos diario.. transito (muito!), poluição, filas e mais filas, todo mundo apressado.

Mas daqui a pouco vc se acostuma com essa loucura toda e vai se divertir fazendo compras de madrugada.. indo as maravilhosas padarias pra comer alguma coisinha gostosa no meio do dia..

Amo sp com todos os seus defeitos.

Drika 24 de novembro de 2010 02:07  

kkkkkkkkkkkkkk.. desculpa mas tive que rir do seu relato...

só vou a sampa as vezes e no início me enrolava toda tb... é um povo diferente mesmo

Mas depois amei essa coisa de metrô...e me viro bem

bjs e sorte aí

Allynny 24 de novembro de 2010 02:07  

Nossa Michele, ninguém merece passar por isso... vc foi muito corajosa em ter decidido ir só, eu no seu lugar ficaria esperando, nem que eu virasse uma planta! rsrs

=*

Noivas Online