Cadê o glamour que estava aqui?

>> quarta-feira, 14 de julho de 2010


Definitivamente, dar entrada nos papéis do casamento é a parte mais chata! Ganha até da fase "ah, mas tem que chamar fulano!" da lista de convidados. Se você, noiva-querida-do-meu-coração, ainda não chegou nessa fase, prepare-se: muito banho de ervas e respiração meditativa serão necessários, se você não estiver assim tão a fim de surtar!

A minha luta começou há mais ou menos 15 dias. Lembra o jogo do Brasil contra a Holanda? Pois, então.... já tinha planejado minha viagem ao Rio de Janeiro para dar entrada na habilitação havia semanas, aproveitando que teria mesmo uma formatura para ir no dia seguinte. Pedi dispensa do trabalho e fui. Só que, claro, o cartório não abriu, né? Porque Copa do Mundo é realmente muuuuuito mais importante do que trabalhar. E o cartório realmente precisava fechar O DIA INTEIRO, por causa de 90 minutos de jogo. Então, tá.
Conclusão: dia de trabalho perdido, tempo mal investido, e o Brasil foi eliminado! Desculpa, mas acho que fui eu que eliminei com as vibrações "super positivas" que emanei...

De volta à SP, como seria ainda mais complicado pedir a transferência da habilitação daqui para o cartório  do Rio, e eu não queria correr o risco dos documentos chegarem lá depois do dia do casamento (imagina a tragédia!), e como também seria praticamente impossível - tanto pra mim quanto pro noivo - pedir mais um dia de "folga" para voltar ao Rio e dar entrada nos papéis lá, chegamos à conclusão de que o melhor seria fazer uma procuração, dando poderes à minha mãe para entregar todos os documentos, assinar todos os  protocolos, etc, etc... aquela chatice  sem tamanho.
Só que, como boa deisgner de interiores que sou, entendo necas de procuração. A solução foi buscar um modelo na internet porque quem deveria me ajudar com isso... *poof*... sumiu do mapa! Nem mensagem na garrafa, muito menos sinal de fumaça resolveu... Levei alguns dias redigindo tudo perfeitamente, sem erros bobocas que poderiam arruinar tudo, me informando sobre o que era necessário colocar, o que era só encheção de saco, e terminei, antes tarde do que nunca, como dizia a minha avó.

Ontem de manhã: horas na fila do cartório para abrir firma, autenticar documentos, procuração, cópias, etc, etc. É um assina cartãozinho daqui, assina cartãozinho de lá, preenche ficha, assina livro, pega senha, senta, levanta, senta de novo, assina mais uma vez, paga isso, paga aquilo, e acaba. Só para quando eu achava que tinha terminado ver que a atendente tão surpreendentemente mal-educadinha para alguém que trabalha com o público, não tinha feio cópias, nem muito menos autenticado nosso RG  e CPF. E eu sou tão pouco paciente com gente que não sabe escutar...

Sabe aquele tipo de pessoa que não olha no seu rosto quando você fala com ela? Aquele tipo de pessoa que não presta a menoooor atenção no que você está dizendo, como se tudo o que você dissesse fosse tão óbvio que não merecesse atenção? Foi essa pessoa que me atendeu.  E era tudo "tão óbvio", que ela não sabia o que fazer. Tive quase que desenhar. E ainda fez cara feia quando eu reclamei! E com esse super humor pré-casamento que eu me encontro, me deu uma vontade de mandar, ei, vai cagar, vai, filha!

Depois do cartório: hooooooras na fila dos Correios pra mandar um Sedex 10 com todos os documentos para a mamis terminar o serviço. Eu contei, gente, 12 guichês, 3 funcionando. Quando deu 12h15min, uma das atendentes resolveu que era um bom momento para sair para almoçar. Só que eu, uns 30 "jovens" e mais uns 15 idosos na fila - que de direito a atendimento preferencial só tem mesmo a placa que diz isso, porque ficam esperando tanto tempo quanto eu! - não fazíamos a menor idéia de quando NÓS iríamos almoçar!

E aí? E aí que eu fui lá perguntar se ela conseguia digerir o almoço facilmente, sabendo que só de idosos tinha mais de 1 dúzia na fila esperando a hora de poder almoçar e tomar o remedinho de pressão. Óbvio que ela nem me respondeu, virou as costas e foi esquentar a marmita. Mais um pouquinho e eu não precisaria mais do serviço. Eu mesma poderia entregar meu Sedex 10, com alguma folga no prazo.

Depois descobri que não precisava da tal procuração. Aaaaahh, p*** sacanagem! Porque ninguém me disse isso antes? Ainda tem gente que vem me dizer que casar é fácil, que difícil é separar! Como pode? Juro que não acredito... Se você trabalha, filha, é muito difícil arrumar tempo pra tudo isso! E é mais difícil ainda conseguir um patrão que te entenda!

Tomara que, pelo menos, os documentos que mamis vai receber hoje estejam certos e eu não precise repetir a dose. Porque, juro, começo a considerar a idéia de festa sem burocracia. Chamo um amigo pra falar algumas palavras bonitas, faço festa e depois peço a benção de um padre, lá em Aparecida. Porque casar dá muito trabalho, sim, senhorita!

Só as noivas entendem
Tensa.

Bjs

8 comentários:

Jane 14 de julho de 2010 08:49  

Essa é definitivamente a pior parte. E eu que tentei casar por procuracao pra adiantar o processo todo do visto do Rafa pra cá. Mandei DUAS que nao foram aceitas, e a anencéfala da atendente ainda pergunta se a noiva estaria presente. Aham, a noiva estará presente sim, mandou procuracao para alguem representa-la só porque achou divertido. Foi tudo à toa, acabei assinando tudo eu mesma qdo cheguei no Brasil. E não deu pra adiantar a papelada do Rafa...

Beijos! Vai dar tudo certo no seu!

**Rafa** 14 de julho de 2010 10:20  

Nossa que saco hein!
Não cheguei nessa parte ainda, mas confesso que pensava que a papelada fosse a parte mais fácil já que eles lá já entendem de tudo.
Mas fica a dica pra gnt abrir o olho neh!
E qndo chegar os papéis conta pra gnt, tomara que dê tudo certo!
~Beijinhos

Letícia 14 de julho de 2010 11:42  

Nem me lembre Michele!!! Eu tive que casar no civil no Sul, fazer papelada religiosa aqui tb e mandar "metadae" do caório pro interior de SP!! Já tava pensando igual vc: festa sem burocracia, e nos vemos depois!!

Mas como vc mesma sempre diz, Deus abençoa sim as noivinhas e tudo se resolve! Mas haja paciência!! Credo!!!

Bjux!!!

Thais 14 de julho de 2010 13:57  

Mi, te entendo, odeio burocracia com todas as minhas foracas, passei por isso pra alugar meu ape, de ir em varios cartorios e tal, quer dizer, passei por 1/10, e jah me estressei horrores, com direito a sorvete no fim do dia, pq eu mereci demais...
Aguenta firme!!!!
bjos,
Thais

Ju e Dani 15 de julho de 2010 14:29  

ui!!! Ainda não tô nessa fase, mas já deu alergia!! rs rs rs =)

Jackeline Mota 15 de julho de 2010 15:49  

Entendo perfeitamente, amore!
Casar é f*, no bom e no mau sentido.
beijos!

Michelle 16 de julho de 2010 00:16  

Mi, essas pessoas que trabalham com público pensam jamais precisar desse péssimo serviço que elas prestam, porque se em algum momento elas se colocassem no lugar do outro jamais seriam desse jeito.
Acho realmente que a parte mais chata é a burocracia, quando aparece um contrato e papéis para assinar tudo deixa de ser divertido. Mas vai passar, rapidinho.
Ah, quanto a loja do sapato eu não sou conhecedora de lojas, mas sou consumidora de sapatinhos lindos. Sendo assim, já fiz minha consulta virtual e acho que até sei que loja é essa. Serei obrigada a fazer uma visita!
bjos e obrigada pela dica

Anonymous 16 de julho de 2010 12:41  

12 guichês e 3 funcionando?
Bem típico!

E não é por falta de funcionários não... é que os funcionários que deviam estar atendendo, na maior parte das vezes ficam la dentro resolvendo outros problemas da empresa...

É direito de todos ficarem no máximo 20 minutos na fila, e em começo de mês 30 minutos.

Quando isso não acontecer, você deve reclamar, aliás, é direito seu pedir uma ficha assim que você entrar em alguma fila, com a hora que você chegou e a hora em que foi atendida... porque caso não seja atendida em 20 ou 30 minutos, você tem direito de reclamar...

Noivas Online